Turismo Cemiterial


Cemitérios são lugares fascinantes, cheios de curiosidades, símbolos, obras de arte e mistérios. O lugar escolhido para o repouso eterno de entes queridos pode ser também uma ilha de silêncio e paz, onde se pode repensar a vida, e caminhar por dentro de si mesmo. A arte cemiterial possui peculiaridades que convidam a uma análise minuciosa, desprovida de preconceitos.
Visite um cemitério. A morte faz parte da vida.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Turistas visitam túmulo de Cesária Évora

A sepultura da cantora Cesária Évora foi visitada, neste fim-de-semana, por turistas que foram passar o Natal e na ilha de São Vicente. Os cidadãos que estiveram no cemitério renderam a sua última homenagem a Diva dos Pés Descalços e deixaram flores e recordações no seu sepulcro.
Alguns turistas disseram  que não conseguiram estar presentes nas exéquias da cantora, e Ppr isso decidiram fazer este gesto a mulher que levou a música de Cabo Verde para todos os cantos do mundo. Por outro lado há quem tenha vindo para conhecer a história da Diva e o seu túmulo.

O casal francês Pierre e Sophie Lazure tiveram o privilégio de assistir um concerto da cantora Cesária Évora em França. O casal afirma que “o povo de Cabo Verde perdeu a mulher que levou a música para além das fronteiras nacionais. E contribuiu para que Cabo Verde fosse reconhecido no mundo inteiro. Por isso viemos a sua sepultura render uma singela homenagem”.

Um grupo de turistas britânicos afirma que pediram a um guia turístico para leva-los ao cemitério de Mindelo para conhecer o sepulcro da “Rainha da Morna”. Adam Matthew acrescenta que “ouvimos falar nos jornais que Cesária Évora foi a musa da música em Cabo Verde. Por isso o nosso grupo decidiu visitar esta cidade para conhecer a história desta mulher e depositar algumas flores no seu sepulcro”.
Segundo os turistas que visitaram a túmulo da cantora, os cidadãos cabo-verdianos e o mundo inteiro deverão ter sempre em mente o que a Cesária Évora enraizou com a sua forma de encarar a vida, e pelo modo como encantava as pessoas. Bem como a sua maneira de interpretar a música que a caracterizou como embaixadora da morna de Cabo Verde.
Cesarea Évora, morta em 17/12/2011

Fonte: http://www.noticiasdonorte.com/index.php?option=com_content&view=article&id=3989%3Aturistas-visitam-tumulo-de-cesaria-evora&catid=96%3Amundo-em-destaque-ii

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Crematório de Animais

O Pampulha Pet Memorial é a opção para quem deseja se despedir do seu animalzinho de estimação de forma respeitosa, proporcionando dignidade a estes companheiros de nossas vidas.
O primeiro crematório de animais de Belo Horizonte funciona 24 horas, e conta com funcionários muito bem preparados, que realizam o transporte do corpo com toda a segurança.




Após a cremação as cinzas serão acondicionadas em bonitas urnas de pedra sabão e entregues para a família acompanhadas de um certificado de cremação.

Preservar as boas lembranças e respeitar o meio ambiente é fundamental para futuras gerações.
Neruda 08/05/03 - 13/12/11

 "Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo."
(Pablo Neruda)

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Expedição busca cemitério indígena na Serra da Calçada

Pesquisadores e voluntários fazem, na quarta-feira 2 de novembro de 2011, uma expedição em busca de um possível cemitério indígena na Serra da Calçada, a 20 quilômetros de Belo Horizonte, na divisa dos municípios de Nova Lima e Brumadinho, na Região Metropolitana.

O tesouro secular corre o risco de desaparecer devido ao descaso e à atividade mineradora na região. O sítio arqueológico foi descoberto por caminhantes, mas ainda não foi mapeado, informou Simone Bottrel, coordenadora da Associação para a Recuperação e Conservação Ambiental (Arca AmaSerra), entidade que organiza a expedição.

Segundo os relatos, em uma área próxima ao condomínio Retiro das Pedras, em Brumadinho, foram encontrados túmulos recobertos com pedras. Simone explica que as pessoas que passaram pelo local não tinham GPS, o que impossibilitou qualquer marcação da área.
A Serra da Calçada está localizada na zona de amortecimento do Parque Estadual da Serra do Rola Moça. Entre os mais de 3.800 hectares da área, as vegetações predominantes são campos rupestres e cerrado. O maciço faz parte da Serra do Espinhaço, que é Reserva da Biosfera, título concedido pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco). “O patrimônio natural da Serra da Calçada é muito rico. Não podemos fechar os olhos para ele”, acrescenta Simone.
Atualmente, o terreno pertence à Vale. Segundo nota da assessoria de imprensa da mineradora, “estudos existentes já publicados sobre a região não apontam indícios sobre ocorrência indígena na Serra da Calçada”.

http://www.hojeemdia.com.br/minas/expedic-o-busca-cemiterio-indigena-na-serra-da-calcada-1.363335

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Barco funerário viking é encontrado na Escócia

Espada de bronze e restos mortais estavam na embarcação
Um barco funerário viking completamente intacto foi encontrado pela primeira vez na costa noroeste da Escócia, segundo arqueólogos britânicos.
Objetos de bronze, incluindo uma faca, um machado e uma espada, foram encontrados juntamente com os restos do corpo e do barco onde ele foi enterrado.
O sítio arqueológico, que fica na região de Ardnamurchan, teria mais de mil anos.
De acordo com especialistas, as armas indicam que o homem era um guerreiro viking de alta patente.
No entanto, os objetos tiveram que passar por um raio-X para que se conhecesse mais detalhes sobre eles, já que estavam cobertos de ferrugem.
O hábito de enterrar os pertences do falecido junto com seu corpo fazia parte da cultura viking.

Leia em:
http://noticias.r7.com/internacional/noticias/barco-funerario-viking-e-encontrado-na-escocia-20111019.html

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Encuentro Iberoamericano de Valorización y Gestión de Cementerios Patrimoniales e o V Encontro da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais

Séra realizado este ano em Salvador o encontro sobre estudos cemiteriais promovido pela ABEC - Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais  entre 11 e 15 de outubro de 2011. O evento congrega o V Encontro Brasileiro de Estudos Cemiteriais e o XII Encuentro Iberoamericano de Valorización y Gestión de Cementerios Patrimoniales.

O evento pretente reunir pesquisadores de diversos países da América Latina com o intuito de trocar e compartilhar experiências a respeito dos estudos cemiteriais. É a primeira vez que o Brasil sedia um encontro internacional nessa área e a expectativa de todos os participantes é muito grande. Ainda há tempo de se inscrever e participar desse importante evento de pesquisa. Para informações sobre o evento, basta encaminhar um email para:

encuentroscementeriosbrasil@gmail.com

Seguem abaixo os links com a III Circular e a programação oficial do evento.

http://pt.scribd.com/doc/66452797/PROGRAMACAO-OFICIAL
http://pt.scribd.com/doc/66452644/III-Circular-Red-Abec-2011

Site da ABEC: http://abecbrasil.blogspot.com/

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Ecologicamente moderno

Saiba qual forma de enterro é mais ecológica: tradicional, cremação, liquefação ou congelamento

 Enterro tradicional e cremação são coisas do passado. As novas formas de lidar com o corpo morto visam causar o menor impacto possível no ambiente. Uma das novas opções é transformar a matéria em líquido, a outra, é secar o corpo e remover os poluentes.
Máquina que liquefaz o corpo da Resomation

A técnica de hidrólise alcalina, desenvolvida pela empresa Resomation do Reino Unido, dissolve o corpo por meio de aquecimento em uma câmara com água e hidróxido de potássio. Outra empresa britânica, a Cryomation, congela o corpo a - 196º C em nitrogênio líquido, depois drena o líquido a vácuo e remove partes poluentes, como obturações de mercúrio.
As duas tecnologias podem ser o futuro dos enterros por diminuírem a área necessária para depositar o corpo e reduzirem as emissões de gases do efeito estufa. Para descobrir se os novos processos anunciados pelas empresas são propaganda ecológica enganosa ou se realmente têm menos impactos que os métodos tradicionais, membros da Organização Holandesa de Pesquisa Científica (TNO) calcularam e compararam a pegada ecológica dos quatro tipos de enterro: tradicional, cremação, liquefação e congelamento.

Os resultados mostraram, que a transformação em líquido é a forma de enterro com menos impactos ambientais. Os pesquisadores viram ainda que, quando os metais presentes no corpo foram retirados nesse processo, tornou-se ambientalmente neutro.

A segunda técnica menos poluente é o congelamento. O enterro tradicional é o processo mais agressivo ao ambiente, cerca de 8 vezes mais que o congelamento. As causas são as grandes porções de solo usadas para os túmulos e as emissões de gases causadores do efeito estufa na produção do material dos jazigos e a manutenção do cemitério.

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI259837-17770,00-VOCE+GOSTARIA+DE+TER+SEU+CORPO+TRANSFORMADO+EM+LIQUIDO+QUANDO+MORRER.html

domingo, 31 de julho de 2011

Lápide com data de morte em 2012 intriga moradores nos EUA

Uma lápide misteriosa que apareceu em um parque em Sherman Oaks, distrito de Los Angeles (EUA), tem intrigado os moradores. Ela teria sido vista pela primeira vez ma semana passada, segundo reportagem da emissora de TV "KTLA".
Na lápide de mármore aparece o nome de Jeffrey Lang, com as datas 1976 e 2012. "A lápide diz que a pessoa morreu em 2012, mas não é 2012 ainda. Então, acho que é algum tipo de brincadeira sobre o fim do mundo", disse uma moradora.
Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2011/07/lapide-com-data-de-morte-em-2012-intriga-moradores-nos-eua.html

sábado, 2 de julho de 2011

Depois de 40 anos, morte de Jim Morrison continua um enigma



Quarenta anos depois da morte de Jim Morrison, encontrado sem vida em 3 de julho de 1971 na banheira de sua residência em Paris, as circunstâncias do falecimento do "Rei Lagarto" continuam sendo um mistério.

Condenado nos Estados Unidos por "exibição indecente", o vocalista do grupo The Doors se exilou em Paris durante a primavera de 1971. Brigado com o grupo, se reuniu com a namorada Pamela Courson com a intenção de dedicar-se à poesia.

Mas a saúde daquele que já havia sido considerado um sex-symbol e se tornara um alcoólatra obeso estava em rápida deterioração. Na manhã de 3 de julho foi encontrado morto na banheira de sua casa parisiense. Ele tinha 27 anos e, segundo a polícia, foi vítima de um ataque cardíaco.

Apesar dos antecedentes de Morrison, a polícia não fez uma necroposia. O empresário do The Doors, Bill Siddons, pegou o primeiro avião para a capital francesa, mas quando chegou o caixão estava fechado.
















O cantor foi sepultado em 7 de julho no cemitério parisiense de Père-Lachaise na presença de apenas cinco pessoas. A notícia da morte, que se espalhou pelo mundo, demorou dois dias para receber confirmação oficial.
Em um livro publicado em 2007, Sam Bernett afirma que Morrison não morreu em sua banheira, e sim no banheiro da discoteca parisiense "Rock'n Roll Circus".

"Lá estava Jim Morrison, com a cabeça entre os joelhos, os braços soltos (...) Rosto cinza, os olhos fechados, com sangue no nariz, uma baba esbranquiçada como espuma ao redor da boca, levemente entreaberta, e na barba", escreve em "Jim Morrison, a verdade".

Segundo o escritor, um médico constatou a morte do cantor e dois homens dos quais Morrison havia acabado de comprar drogas o arrastaram para um taxi, que o levou até sua residência. Por medo do escândalo, o dono da discoteca preferiu não avisar a polícia.

E se Morrison estivesse vivo?, chegou a questionar o tecladista do The Doors, Ray Manzarek.

Na foto uma arte realizada com auxilio da tecnologia mostrando como estaria o cantor hoje, aos 65 anos.

Fonte: http://www.hojeemdia.com.br/cmlink/hoje-em-dia/entretenimento/musica/depois-de-40-anos-morte-de-jim-morrison-continua-um-enigma-1.303377

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Restos mortais de Dona Beja podem ter sido descobertos em Estrela do Sul

A reforma de uma praça, em Estrela do Sul, no Alto Paranaíba, em Minas Gerais, desperta curiosidade e inspira nostalgia. Durante as escavações, operários encontraram restos mortais em uma área de aproximadamente 500 metros quadrados. A descoberta fez surgir as especulações de que os fragmentos de ossos seriam de Dona Beja (1800/1873), mulher influente do século XIX que encantou muitos homens. Próximo ao local da obra existiu um cemitério até 1925.

Os restos mortais encontrados mudaram a rotina dos moradores de Estrela do Sul. A comunidade está fervorosa e o assunto é um só. Seja na farmácia, padaria, ponto de ônibus, salão de beleza, barzinhos ou estabelecimentos comerciais, todos querem saber se os fragmentos são mesmo de Dona Beja.
Cláudio Amir Ramos acabou retirando mais do que terra ao abrir espaço para construir uma fonte que será instalada na praça da Matriz em Estrela do Sul. O mestre de obras conta que de repente deparou-se com algo diferente e viu que era osso. E não foi só osso não. “No momento a gente pensou que tinham pecinhas de caixão”, comenta. A descoberta não assustou muito os moradores. Na área existia um cemitério até 1925. Agora o mistério fica por conta de quem seriam os restos mortais. Alguns acreditam que pode ser de uma moradora ilustre da cidade: Dona Beja. “Para mim é”, comenta Jonas Gomes, servidor público. “Eu acho que não é não”, discorda Pedro Fernandes Neto, também
Conhecida como Dona Beja, Anna Jacintha de São José viveu em Araxá, também no Alto Paranaíba. Ela foi para Estrela do Sul aos 40 anos e teria morrido aos 73 anos, devido a uma intoxicação. Ela teria sido enterrada sem caixão no antigo cemitério do Centro da cidade.
O que reforça essa dúvida é que o caixão em que Dona Beja foi enterrada tinha enfeites feito de zinco, material que também foi encontrado junto com os ossos. Além disso, a família de Dona Beja não quis remover os restos mortais quando o novo cemitério foi construído.

A memória de Dona Beja está na rua, no balneário e nas ruínas da última casa em que ela morou. Talvez por isso não faltem histórias, principalmente de onde é que ela foi enterrada. Uma das conversas é que a casa de Maria Terezinha seria o local onde hoje está a roseira. Existia um coqueiro que marcava o túmulo de pessoas importantes da cidade, como o coronel Elias Teotônio. “O coqueiro que marcava o túmulo do coronel e que Dona Beja estava junto porque enterravam as celebridades junto”, comenta a dona de casa.


A assessoria da Prefeitura de Estrela do Sul pretende enviar o material encontrado para análise.

Fontes: 
http://www.hojeemdia.com.br/cmlink/hoje-em-dia/minas/restos-mortais-podem-ser-da-famosa-dona-beja-1.296163
http://megaminas.globo.com/2011/06/13/moradores-descobrem-ossadas-durante-reforca-de-praca-em-estrela-do-sul

terça-feira, 31 de maio de 2011

Cabeça do santo padroeiro das doenças genitais será leiloada


A cabeça de um monge beneditino conhecido como Vital de Assis e considerado o "santo padroeiro das doenças genitais" será leiloada em County Meath (Irlanda).

Vital nasceu na Úmbria (Itália), no século XIV, e teve uma juventude considerada imoral e libinosa. Em uma tentativa de se redimir dos pecados, ele iniciou uma série de peregrinações pela Europa e acabou recluso em um monastério beneditino em Subiaco. Após deixar o local, passou a viver como ermitão em Assis, abrindo mão de todos os bens materiais.

O religioso morreu em 1370. A Vital foram atribuídos vários milagres - todos relacionados a problemas com a bexiga e a genitália. O italiano se tornou santo.

Não se sabe como a cabeça do santo foi parar na Irlanda.

http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/#383661

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Um cemitério dentro do museu - memorial polêmico do 11/09

No momento em que a tragédia de 11 de setembro completa 10 anos e que o principal responsável pelo atentado terrorista que matou 2.752 pessoas só em Nova York é finalmente exterminado, surge um novo problema. Trata-se da construção do Museu e Memorial Nacional 11 de Setembro, no Marco Zero da cidade, que abrigará os restos humanos dos mortos nos ataques. O monumento está mexendo com os nervos de muitas famílias americanas. “Eu me oponho 100% ao projeto do museu. Eu acho que é antiético, imoral e insensível”, disse ao site de VEJA Sally Regenhard, mãe de um bombeiro de 28 anos que morreu nos atentados e porta-voz das famílias descontentes com o projeto.





Organizado por uma associação que descreve seus objetivos como não-lucrativos, o museu vai expor pedaços e objetos que restaram das torres do World Trade Center com a proposta de educar os visitantes sobre o pior atentado terrorista da história dos Estados Unidos. A primeira parte do projeto será inaugurada no aniversário de 10 anos da tragédia. Já o memorial, localizado dentro do museu - porém em uma área separada e restrita - vai homenagear as vítimas. O espaço será dedicado a mostrar quem eram essas pessoas com fotografias, lembranças, objetos pessoais e mensagens de parentes.

O objetivo é explorar a dimensão da perda humana nos ataques. Plano - O museu e o memorial ocuparão metade da área do Marco Zero, que tem 65.000 metros quadrados (cerca de oito campos de futebol). O projeto é composto basicamente por um pavilhão de aço. Ao seu redor, decorarão o ambiente duas piscinas, preenchidas apenas com cascatas de água, exatamente no local onde ficavam as duas torres. Dentro do pavilhão, haverá um auditório, um café e sete andares subterrâneos, que fazem parte da construção original do World Trade Center. No subsolo, ficará o memorial com os restos mortais das vítimas.
Fonte: Veja

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Egito abre seis túmulos da era Tutancâmon para visitação

Depois de cuidadosa restauração, o governo egípcio abriu para visitação seis túmulos da era de Tutancâmon, que têm mais de três mil anos de história. Os mais importantes, o túmulo de Maya e do general Horenheb, ficam próximos de Cairo, a cerca de 30 quilômetros ao sul na cidade de Saqqara. O ministro das Antiguidades, Zahi Hawass, disse que a restauração foi meticulosa e, para proteger os afrescos, foram colocadas placas de vidro nas paredes.
Maya era o tesoureiro de Tutancâmon e Horenheb, chefe do exército. Suas tumbas ficam no cemitério real do Novo Império. Horenheb sucedeu o faraó e foi o último da 18ª dinastia. E o curioso é que quem foi enterrado na sepultura agora aberta ao público foi mulher do militar, não ele. Horenheb ergueu sua própria tumba quando se tornou faraó, no Vale dos Reis, em Luxor, cidade ao sul do Egito.
A ação inédita procura atrair turistas para o Egito, que perdeu mais de US$ 20 bilhões com a crise política que derrubou o presidente Hosni Mubarak, em fevereiro.

terça-feira, 17 de maio de 2011

A morte como ela é

Este é o título de uma apresentação de Power Point concebida pelo escritor e blogueiro Fernando Tomazzi.
Com trilha sonora perfeita, e permeado de belas frases pronunciadas por pessoas que aprendemos a respeitar, Tomazzi se baseou em idéias dos cientistas Carl Sagan e John Haldane para construir  sua teoria a respeito da morte. Conhecido por seu  humor inteligente e refinado, neste trabalho aborda o tema com a seriedade de um ateu que refletiu  profundamente, e concluiu que a vida é importante demais para ser desperdiçada, e morrer é apenas dormir, descansar - uma linda forma de pensar no fim da vida.  O material pode ser baixado, visto e divulgado através do link:http://www.4shared.com/file/M8vTrSV7/A_Morte_Como_Ela_.html

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Cemitério ordena destruição de jazigo por ser muito sexy

O jazigo que abriga o corpo de Carolin Wosnitza terá que ser destruído. A administração do cemitério em Ohlsdorf (Áustria) acha que o túmulo da atriz pornô, que morreu aos 23 anos, é considerado muito sexy, e não condiz com o espírito do local. O jazigo é enfeitado com fotos da atriz, incluindo uma em que ela é vista de roupão.

"Sexy Cora", como Carolin era conhecida, morreu no início do ano após complicações em cirurgia para turbinar os seios em uma clínica de Hamburgo (Alemanha).

O viúvo, Tim Wosnitza, recebeu a ordem do cemitério, que é o maior do mundo, com cerca de 260 mil túmulos. Ele gastou cerca de 40 mil reais para erguer o jazigo, segundo o "Daily Record"."Ela era uma mulher bonita. Como pode ofender?", questionou.

Foto da atriz:
http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/posts/2011/05/12/cemiterio-ordena-destruicao-de-jazigo-por-ele-ser-muito-sexy-379936.asp

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Nasce ninhada de gansa que era protegida por veado em cemitério

Nasceram os filhotes de uma gansa que havia construído seu ninho em um cemitério em Buffalo, no estado de Nova York (Ver postagem anterior). Durante o período em que estava chocando os ovos, a ave contou com uma ajuda inusitada. Um veado ficou protegendo o ninho de ataques de possíveis predadores.
Os filhotes se tornaram uma atração assim que desceram do ninho.



http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2011/04/nasce-ninhada-de-gansa-que-era-protegida-por-veado-em-cemiterio.html

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Casal inusitado se forma em Cemitério de Nova York

Um bom exemplo de pluralidade sexual está sendo dado por um casal muito atípico. Uma pata escolheu um vaso do cemitério de Buffalo, cidade em Nova York, para colocar e chocar seus ovos. Então um veado passou a proteger a mamãe e seus filhotes, ficando de guarda ao lado do ninho.

O mamífero cervídeo normalmente não dá muita atenção a aves ou patos e vice versa, disse Paul Curtis, expert em vida selvagem da Universidade Cornell.

Craig Cygan, um caçador de patos, descobriu o casal e contou que não encontrou nenhum pato macho nas redondezas, e acredita que o veado tenha tomado o posto de protetor da família pata.

Funcionários do cemitério disseram que vão tentar instalar uma webcam para que os curiosos possam acompanhar o casal.


http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/inacreditavel/2011/04/14/273397-pata-e-veado-formam-casal-em-cemiterio-americano

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Descoberta arqueológica pode revelar orientação sexual




Cinco mil anos depois de ter morrido, o primeiro "homossexual das cavernas" foi descoberto por arqueólogos na República Tcheca. De acordo com os cientistas, o jeito como foi enterrado sugere que ele tinha uma orientação sexual diferente.
Descoberto em escavações na República Tcheca, o falecido homem da Idade da Pedra teria vivido entre 2.900 e 2.500 antes de Cristo. A informação foi revelada nesta quarta-feira (6 de abril 2011) pelo jornal britânico Daily Mail.

Durante aquele período, os homens eram tradicionalmente enterrados sobre seu lado direito, com a cabeça apontando para o oeste, e as mulheres sobre seu lado esquerdo, com a cabeça apontada para o leste.
Neste caso, o homem estava deitado sobre seu lado esquerdo, com a cabeça em direção ao oeste.
Outra pista é que os homens geralmente eram enterrados com armas, martelos e facas, além de porções de comida e bebida para acompanhá-los para "o outro lado", explicaram os cientistas.
Já as mulheres eram enterradas com colares feitos de dentes, animais de estimação e brincos de cobre, além de jarros domésticos e um vaso na forma de ovo perto dos pés. O “homem das cavernas gay” foi enterrado com jarros domésticos e sem armas.

Os arqueólogos dizem que isso não deve ser um erro ou coincidência por causa da importância dos funerais durante aquela época, chamada de Era da Cerâmica Cordada por causa dos potes que eram produzidos.
“Graças à história e à etnologia, sabemos que as pessoas desse período levavam os funerais muito a sério, por isso é muito improvável que essa posição fosse um engano”, explicou Kamila Remisova Vesinova, chefe da pesquisa.

- É muito mais provável que fosse um homem com uma diferente orientação sexual, um homossexual ou um travesti.

Junto aos pés do esqueleto também foi encontrado um recipiente oval associado a enterros de mulheres.

Katerina Semradova, que faz parte da equipe de arqueólogos, disse que seus colegas já haviam desenterrarado, anteriormente, uma sepultura do período Mesolítico, na qual uma guerreira foi enterrada como um homem.
A pesquisadora acrescentou que feiticeiros da Sibéria também eram enterrados dessa forma, mas com ricos acessórios, apropriados a sua alta posição na sociedade.


http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/noticias/gay-das-cavernas-leva-5-000-anos-para-sair-do-armario-20110407.html

quinta-feira, 31 de março de 2011

ABEC divulga primeira circular de encontro internacional

A Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais, ABEC, em conjunto com a Red Iberoamericana de Cemitérios Patrimoniais, divulgou neste mês a primeira circular do encontro internacional que acontece no mês de outubro, em Salvador (BA).

O encontro que ocorrerá entre os dias 11 e 15 de outubro deste ano, vai unir simultaneamente o V Encontro Nacional da ABEC e o XII Encuentro Iberoamericano de Valorización e Gestión de Cementerios Patrimoniales. A temática dos dois encontros será Cemitério: patrimônio cultural material e imaterial. Os trabalhos podem ser enviados até o dia 02 de maio de 2011.

Veja no link abaixo a primeira circular em sua íntegra


quarta-feira, 23 de março de 2011

Coveiros fazem paralisação no Caju, Rio de Janeiro


Há um tumulto no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, na manhã desta quarta-feira. Segundo familiares de pessoas que devem ser enterradas no local, os coveiros cruzaram os braços e se recusam a fazer os sepultamentos. O protesto seria por causa de atraso de salários.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/03/23/coveiros-fazem-paralisacao-se-recusam-sepultar-corpos-no-cemiterio-sao-francisco-xavier-924069272.asp



quarta-feira, 16 de março de 2011

Cemitério com vítimas do nazismo é encontrado na Áustria

Uma vala comum com os restos mortais de cerca de 220 supostas vítimas do Programa de Eutanásia nazista, cujo foco era eliminar portadores de deficiências, foi encontrada na localidade de Hall, no Tirol austríaco, informou nesta segunda-feira a emissora pública da Áustria ORF.

Segundo fontes, a fossa foi encontrada nos arredores do centro de psiquiatria do hospital regional de Hall, durante as obras que estavam sendo realizadas no estabelecimento médico.
As vítimas teriam sido enterradas entre os anos de 1942 e 1945, e há suspeitas de que muitas delas tenham morrido no chamado Programa de Eutanásia. O programa foi iniciado pelos nazistas para potencializar a "raça ariana", eliminando portadores de deficiências físicas e mentais, entre eles muitos menores de idade.
As autoridades austríacas paralisaram as obras e começaram a investigar a identidade dos corpos, assim como a possível existência de outras valas.
Até que não sejam realizadas as autópsias dos corpos, a causa das mortes das pessoas enterradas não poderá ser determinada, embora o historiador Horst Schreiber tenha revelado à ORF que há suspeitas de que as vítimas tenham morrido de fome.
Estima-se que quase 200 mil pessoas com algum tipo de doença ou deficiência tenham sido assassinadas durante o regime nazista, após terem sido separadas de suas famílias com o pretexto de serem encaminhadas a instituições sanitárias.
Na Áustria, o lugar mais relacionado a este programa é o antigo palácio de Hartheim, perto da capital da Alta Áustria, Linz. Ali, foram eliminadas aproximadamente 30 mil pessoas entre 1940 e 1944, catalogadas na nomenclatura nazista como "vidas indignas de ser vividas".
O porta-voz do projeto de construção, Johannes Schwamberger, disse que as obras foram interrompidas após a descoberta do cemitério clandestino nazista, para permitir uma investigação que descubra a identidade dos mortos. Mais de 75.000 pessoas foram assassinadas pelos nazistas por terem deficiências físicas e mentais.

http://noticias.r7.com/internacional/noticias/austria-encontra-vala-com-220vitimas-de-eutanasia-nazista-20110103.html

http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/cemiterio-com-vitimas-do-nazismo-e-encontrado-na-austria

segunda-feira, 7 de março de 2011

Tijuca leva o tema da morte para o carnaval da avenida




Apostando no samba-enredo “Esta Noite Levarei Sua Alma”, a agremiação deixou os jurados boquiabertos com tantos efeitos especiais. A começar pela tenebrosa comissão de frente, munida de uma enorme lápide e dançarinos que perderam a cabeça – literalmente. 

A sessão da meia-noite, intitulada “Pague para Entrar, Reze para Sair” teve sequência com outros efeitos tenebrosos do grupo teatral da escola.
A ideia era brincar com a morte e fazer o povo das arquibancadas gargalhar — disse Paulo Barros, frisando que a maior dificuldade para a realização da coreografia não foi a mágica em si, mas a confecção das fantasias da comissão, segundo ele, dez vezes mais complicadas que as usadas pelo grupo no ano passado.

Enquanto o público se divertia com os heróis, o anjo da morte se irritava cada vez mais. Como resposta, cenas da inquisição, Freedy Krueger, tubarões famintos e as obras de Zé do Caixão, representando o cinema nacional. Na retaguarda estava a impecável bateria do mestre Casagrande.


Campeã do carnaval 2010, a Unidos da Tijuca entrou na Sapucaí com todos os requisitos para conquistar novamente o título. O último carro a deixar a Marquês de Sapucaí tinha como destaque o cineasta Zé do Caixão e homens amarrados em gangorras. A alegoria, que homenageou num telão o cinema brasileiro, trouxe o pavão, símbolo da escola. A ousadia e a irreverência do carnavalesco Paulo Barros mais uma vez fizeram diferença e a escola, que escolheu falar do medo, tendo o cinema como fio condutor, foi a primeira da noite de domingo a deixar a pista de desfiles ao gritos de campeã.

http://www.band.com.br/bandfolia/conteudo.asp?id=100000407426

http://extra.globo.com/noticias/carnaval/unidos-da-tijuca-levanta-sapucai-com-classicos-do-cinema-1225056.html

domingo, 6 de março de 2011

A morte na moda

Interessados em moda sabem que o principal editorial da revista Vogue italiana é feito por Steven Meisel. E todo mês, religiosamente, ele despeja uma nova leva de imagens fantásticas sobre os temas mais diversos e extravagantes.

Na edição de agosto de 2008, porém, a uma última barreira foi rompida: o ensaio de moda gira em torno da morte. É claro que, aqui, a morte aparece altamente estilizada, com requintes de fetiche, e muito glamour. Não há nada de vulgar ou corriqueiro nela.
Num cemitério, embaixo de chuva, um grupo de viúvas chiquérrimas –envoltas em trajes negros, usando mantilhas de renda, scarpins poderosos, luvas  e terços– desfiam suas lamúrias sobre os túmulos.



Fotos: Steven Meisel
Fashion Editor: Karl Templer
Make-up: Pat McGrath
Hair: Guido
Set Design: Mary Howard

http://www.modasemfrescura.com/2008/08/

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

A Morte não é Nada


" Santo Agostinho "


"A morte não é nada.
Eu somente passei
para o outro lado do Caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês,
eu continuarei sendo.

Me dêem o nome
que vocês sempre me deram,
falem comigo
como vocês sempre fizeram.

Vocês continuam vivendo
no mundo das criaturas,
eu estou vivendo
no mundo do Criador.

Não utilizem um tom solene
ou triste, continuem a rir
daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.

Que meu nome seja pronunciado
como sempre foi,
sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra
ou tristeza.

A vida significa tudo
o que ela sempre significou,
o fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora
de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora
de suas vistas?

Eu não estou longe,
apenas estou
do outro lado do Caminho...

Você que aí ficou, siga em frente,
a vida continua, linda e bela
como sempre foi."


domingo, 20 de fevereiro de 2011

Porto-riquenho é embalsamado e velado em cima de uma motocicleta

Quando você acha que já viu de tudo na vida, aparece uma coisa dessas. Um sujeito que morreu baleado em Porto Rico, teve o seu corpo embalsamado e seu velório foi realizado em cima de uma motocicleta.

David Morales, de 22 anos, trabalhava fazendo entregas e havia acabado de ganhar a moto - uma Honda CBR600 F4 – de um tio. 


O pessoal da funerária Marin, que fica no bairro de Hato Rey, arrumou tudo para que, quando os amigos e parentes do morto viessem se despedir de Morales, ele estivesse montado no veículo.

Ele foi enterrado na tarde de quarta (28) no Cementerio Municipal, em Rio Piedras.

De acordo com empregados da funerária, Morales vivia em Cupey e foi assassinado a sangue frio em uma travessa da Avenida Rexach, no Barrio Obrero, no distrito de Santurce, na capital de Porto Rico.

A funerária Marin é famosa por sempre atender últimos desejos. Em agosto do ano passado eles ganharam relativa notoriedade por terem velado o corpo de Ángel Luis “Pedrito” Pantojas Medina em pé, vestido com suas roupas preferidas.
http://noticias.r7.com/esquisitices/noticias/morto-e-velado-em-cima-de-sua-moto-20100428.html

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Patrimonio de Cemitério é ameaçado em Uberaba



Criminosos não poupam vivos nem mortos.  O maior cemitério de Uberaba é alvo de ladrões que depenam as sepulturas. Eles roubam tudo que valha como moeda de troca para a compra de drogas que consomem entre os jazigos.

Os invasores aproveitam a escuridão da noite para agir. Sozinho e desarmado, Antônio Ferreira caminha sem medo pelos túmulos do maior cemitério de Uberaba. Há mais de 20 anos trabalhando como vigia perdeu a conta de quantos ladrões 'colocou para correr'.

Além de roubar, os marginais entram no cemitério para consumir drogas. O muro baixo e a rua deserta faciliam a fuga dos bandidos. Isso sem falar na falta de policiamento. O resultado de tanto descaso é visto durante o dia: argolas, placas e crucifixos, tudo arrancado dos túmulos. À base de bronze, as peças viram moeda de troca no mundo das drogas.

Os furtos tornaram-se tão frequentes que a administração do cemitério sequer consegue contar os prejuízos.

O chefe da Guarda Municipal de Uberaba, Júlio César, admite que hoje a tropa é insuficiente para conter os marginais. 


Jornal da Alterosa 1ª Edição
14 de fevereiro de 2011

Adolescente planeja o próprio funeral após câncer raro




Uma adolescente britânica está planejando seu próprio funeral e o que ela quer fazer nos últimos meses de vida, após descobrir que não há mais tratamento para seu câncer nos ossos. Donna Shaw, de 17 anos, foi diagnosticada em fevereiro de 2010 com Sarcoma de Ewing, uma forma rara de tumor ósseo maligno que atinge principalmente crianças e adolescentes.
A mãe de Donna, Nikki Parker, de 45 anos, disse que a filha é uma "inspiração" para todos a seu redor e já escolheu cada detalhe do funeral. "Ela escolheu tudo: as músicas, ela tem um vídeo dela que ela quer que seja exibido no funeral e as cores das flores."

Segundo Donna, planejar o funeral lhe dá forças, mas ainda assim quando vai dormir, ela fica assustada. "Não tenho medo de morrer. Tenho medo de deixar minha família", diz ela. "É duro não saber quando (vou morrer) mas eu sou uma lutadora. Tenho uma sobrinha que vai nascer em abril, então ainda vou estar por aqui até lá."



http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/02/adolescente-planeja-o-proprio-funeral-apos-cancer-raro.html

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Casal é condenado no Reino Unido por fazer sexo em cemitério

Um casal foi sentenciado na sexta-feira (11/02/2011) por fazer sexo em um cemitério de uma igreja em Reigate, no Reino Unido, segundo reportagem do jornal "Oxford Times".
Andrew Donaldson, de 41 anos, e Karen Waters, de 43, foram condenados a três meses de cadeia, com a pena suspensa por 12 meses.
Além disso, Donaldson terá que realizar 100 horas de trabalhos comunitários, enquanto Karen foi condenada a 80 horas de serviços comunitários.
Donaldson e Waters foram flagrados em 22 de abril de 2010 durante o ato sexual entre as lápides de uma igreja que fica próxima a uma escola.

O casal alegou que estava pegando sol e tinha trocado um beijo e um abraço. No entanto uma testemunha disse à Justiça que viu os dois realizando movimentos sexuais.
 Homem realizará 100h de trabalho comunitário, e mulher, 80. 
Dupla também pegou 3 meses de cadeia.


http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2011/02/casal-e-condenado-no-reino-unido-por-fazer-sexo-em-cemiterio.html

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Arqueólogo encontra 1082 possíveis tumbas antigas usando o Google Earth

Se você é um dos muitos que já baixou o Google Earth apenas para brincar um pouco de ver sua casa lá de cima, e depois abandonou o programa achando que ele era meio inútil, melhor pensar de novo. Arqueólogos estão usando a ferramenta para encontrar possíveis novos sítios arqueológicos. E a coisa está dando muito certo: 1977 lugares foram identificados com esse potencial.
Um desses arqueólogos é o professor David Kennedy, da University of Western Australia. Ele vasculhou cerca de 800 quilômetros quadrados da Península Arábica no programa e encontrou os possíveis sítios, inclusive 1082 que ele identificou como potenciais tumbas antigas.
A revista New Scientist cobriu a história e conta que uma vez localizados os pontos, Kennedy entrou em contato com um amigo, não arqueólogo, que vive na Arábia Saudita para que ele fosse até dois desses locais para tirar algumas fotos.
Uma comparação das estruturas fotografadas com outras que ele viu na Jordânia levou Kennedy a concluir que os sítios podem ter até 9000 anos de idade. Mas é claro que isso precisa ser verificado pessoalmente.
Vasculhando a Península Arábica usando a ferramenta, professor australiano localizou 1977 potenciais sítios arqueológicos
http://tecnologia.br.msn.com/noticias/artigo.aspx?cp-documentid=27544726

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Crematório vira aquecedor de piscina

Reciclar e evitar o desperdício é algo que está em pauta no mundo há um tempo. E a ideia agora é que uma pessoa dê calor à outras.
Como? É simples. Em Redditch (Inglaterra), uma piscina deve ser aquecida com o calor gerado por um crematório.
Com isso, mais de R$ 38 mil devem ser economizados por ano em gastos com eletricidade para esquentar a água.
Só que, segundo o jornal Telegraph, tem gente que não está querendo nadar em "água de morto". Essa é a previsão de Simon Thomas, dono da funerária.
- Eu não sei se as pessoas vão se sentir confortáveis ao nadarem em uma piscina aquecida com a morte de alguém que amam. Acho que é meio estranho.
E agora? Aproveitar o calor dos falecidos ou prejudicar o planeta?

http://noticias.r7.com/esquisitices/noticias/reciclagem-crematorio-vira-aquecedor-de-piscina-20110126.html

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Caixões para torcedores





No município de Senador Pompeu, a 280 km de Fortaleza, a funerária de José Bananeira, 67, ganhou mais notoriedade entre os moradores quando, há dois anos, resolveu apostar numa ideia para lá de original no Ceará: oferecer caixões personalizados com escudos e cores de times de futebol.
“O pessoal gostou demais, eles vêm aqui visitar, tirar foto, outros ficam brincando quando passam na rua”, se orgulha José, dizendo ainda que se sente bem ao ver os caixões dos clubes enfeitando a funerária. Ele revela também que já tem um caixão reservado para ele próprio: “É um do Corinthians, pra quando chegar minha hora”.

Segundo ele, os caixões personalizados passaram a fazer parte da funerária por sugestão de um fornecedor que mora em São Paulo. No começo, José diz que resistiu à ideia porque o futebol não é muito forte em Senador Pompeu, mas depois resolveu fazer um teste e não se arrependeu. Ainda mais depois que os moradores passaram a encomendar caixões de outros times.

No momento ele conta com caixões de cinco clubes: Botafogo, Corinthians, Flamengo, Palmeiras e São Paulo. Porém, um aviso aos interessados, a oferta deverá ser ampliada em breve. “O pessoal fica dizendo pra eu pedir uns do Ceará e do Fortaleza, então eu vou ter que encomendar”.
 http://www.opovo.com.br/app/opovo/esportes/2011/01/04/noticiaesportesjornal,2085536/hei-de-torcer-ate-depois-de-morrer.shtml

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Falta de lugar em cemitério obriga família a prorrogar velório em Pernambuco

Uma família de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, vive um drama: não consegue enterrar um parente no cemitério municipal da cidade. O corpo do professor Francisco de Assis Farias, de 58 anos, deveria ter sido sepultado na tarde na tarde do último domingo, mas a cerimônia foi adiada para esta segunda-feira porque não havia sepultura disponível no local. O velório teve que ser prolongado porque todas as 2.700 sepulturas verticais estavam ocupadas e cada uma delas só pode ser aberta, para a retirada dos ossos, dois anos depois do sepultamento. A família de Francisco de Assis disse que teve que pagar R$ 250 para que o corpo fosse embalsamado, pois, apenas nesta segunda, os coveiros teriam ordem para desocupar uma antiga sepultura.
Além da despesa financeira, os parentes reclamam do constrangimento e da angústia diante dessa situação inusitada.
- Isso repercutiu péssimo em relação à família, por causa do constrangimento para parte da família que veio de Surubim e teve despesas para vir, além da despesa extra para colocar mais formol no corpo - conta um amigo da família do professor, José Rogério Lemos.
De acordo com a direção do cemitério, o problema só não é maior porque foi tomada a decisão de não atender a moradores de outros municípios da Região Metropolitana do Recife. No último domingo, outras duas famílias que enterrariam seus mortos no local tiveram que procurar outros cemitérios.
A solução para o problema de falta de espaço seria construir mais sepulturas verticais no terreno que fica na parte dos fundos, área esta que pertence ao cemitério, mas que começou a ser ocupada por famílias, que construíram casas.

Extraído de: http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2011/01/10/falta-de-lugar-em-cemiterio-obriga-familia-prorrogar-velorio-em-pernambuco-923459868.asp

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Crematório inglês propõe alternativas ecológicas e futuristas à cremação

O crematório da cidade britânica de Cambridge propôs adotar métodos mais 'ecológicos' como alternativa à cremação, que envolvem técnicas como resfriamento e dissolução dos corpos, segundo a imprensa britânica.
Um dos métodos se chama 'promession' e consiste no uso de nitrogênio líquido para resfriar o corpo até -196ºC, temperatura na qual ele pode ser desumidificado e fragmentado. O fino pó decorrente do processo pode usado como composto biodegradável ou enterrado em um caixão biodegradável, explica o jornal The Telegraph.

Outro método que pode ser utilizado, segundo o Cambridge News, é o 'resomation', em que o corpo é submerso em uma solução alcalina que o dissolve em cerca de três horas.
Essas alternativas emitem menos poluentes do que a cremação tradicional, de acordo com a administração do crematório, que submeteu ao Conselho Distrital de Cambridge um plano de negócios propondo os métodos e aguarda sua aprovação. A administração diz que a aplicação dos métodos por enquanto é uma 'sugestão'.

Serviço moderno

A gerente do crematório, Tracy Lawrence, disse, em documento entregue ao Conselho, que o plano de negócios 'concebe um serviço moderno e avançado' a ser oferecido aos clientes do local, de acordo com os jornais.
O objetivo é trazer uma 'abordagem mais comercial' ao crematório, para aumentar a oferta de seus serviços e seus lucros.
Outra vantagem atribuída aos métodos alternativos é que eles economizam o espaço ocupado pelos corpos.
As técnicas não são inéditas. A 'resomation' já é permitida em alguns Estados americanos, e uma empresa escocesa tenta regularizá-la na Grã-Bretanha. A 'promession' é patenteada por suecos e praticada no país nórdico.

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/01/crematorio-de-cambridge-propoe-alternativas-ecologicas-e-futuristas-a-cremacao.html